História da poesia de Angola (de 1930 a 1945)

E no período de 1930 até 1945, o chamado "período de quase não literatura" onde avultam os nomes como os do advogado dicionarista e romancista, Assis Júnior, o escritor e pesquisador cultural Óscar Ribas e o escritor Castro Soromenho.

Na ressaca deste terrível período de repressão, inspirado pela literatura e pelos jornais do início do século XX, fortemente influenciados pelas correntes neo-realistas da literatura, do cinema no pós-guerra, que após a descoberta da negritude que desde 1935 vinha sendo propugnada por Senghor e Césaire, e também pelo exemplo dos escritores negros norte-americanos, como Richard Wright, Contee Cullen e Langston Hughes, e do Cubano Nicolas Guillén" (Carlos Ervedosa ), que emerge uma nova geração de escritores angolanos.

Este movimento desenvolve "uma nova consciência ligada à terra" e lança no ano de 1948, um mote político-cultural que irá passar à história com o nome de "Vamos Descobrir Angola". Para Mário de Andrade, este mote "incitava os jovens a descobrir Angola em todos os seus aspectos".

É neste período que emergem grandes nomes da criação de poética angolana como António Jacinto, Viriato da Cruz e Agostinho Neto.

Desde finais do século XIX até 1930
Desde finais do século XIX princípio do século XX até 1930, onde se destaca a célebre geração 1900 da qual fazia parte Cordeiro da Mata, Fontes Pereira, Silvério Ferreira, Apolinário Van-Dúnem e Paixão Franco. No fundo, no fundo, a geração progenitora do famoso manifesto escrito por várias mãos "A voz de Angola clamando no deserto", que foi um autêntico libelo acusatório e uma vigorosa reação de uma plêiade de proto-nacionalistas angolanos a um labéu de cariz racista, vindo a público num periódico da época, burilado por um escriba colonial.
História da poesia de Angola (Pós Independência)
Com a Revolução dos Cravos em 25 de Abril de 1974 em Portugal, criam-se as condições objetivas para a proclamação da Independência nacional, que ocorrerá em 11 de novembro de 1975 dando lugar ao nascimento da República Popular de Angola.  
História da poesia de Angola (de 1961 até 1975)
No período de 1961 até 1975, nasce em Angola geração da guerrilha e a geração de 70, sem esquecer os escritores que gramaram no Tarrafal (alguns dos quais vindos da geração da "Cultura").
História da poesia de Angola (de 1940 até 1961)
De meados dos anos 40 até 1961 com despoletar da luta armada, neste período temos as gerações da "Mensagem" e da "Cultura", sendo um dos momentos privilegiados de imposição do nosso processo literário face à ordem cultural colonial.
História da poesia de Angola (de 1930 a 1945)
E no período de 1930 até 1945, o chamado "período de quase não literatura" onde avultam os nomes como os do advogado dicionarista e romancista, Assis Júnior, o escritor e pesquisador cultural Óscar Ribas e o escritor Castro Soromenho.