História da poesia da Guiné Bissau (até 1944)

Os primeiros escritos no território guineense foram produzidos por escritores estabelecidos ou que viveram muitos anos na Guiné.

Muitos deles de origem cabo-verdiana em que a maioria, se caracterizara por uma abordagem paternalista ou próxima do discurso colonial.

Destacam-se Maria Archer, poetisa do exotismo, Fernanda de Castro, cuja obra dá conta das transformações sociais da colónia na época e João Augusto Silva, que recebeu o primeiro prémio de literatura colonial.

Durante esse período apenas uma figura guineense se destaca: o Cónego Marcelino Marques de Barros, (1844-1928) transcreveu e traduziu dez cantigas, da oralidade guineense, em sua "A literatura dos negros" (Lisboa 1900).

 

Referências Biográficas

  • A literatura de Guiné-Bissau Embaló, F; in http://opatifundio.com/site/?p=2754, acedido em 30-08-2012
  • Literatura, Língua e Cultura na Guiné-Bissau - um País da CPLP; Couto HH e Embaló F,PAPIA Revista Brasileira de Estudos Crioulos e Similares; Número 20, 2010