Secas

secas
as palavras despegam-se
das coisas e da gente
como pele de cobra
em tempo de muda

esvoaçando
ao de leve
elas se amontoam
nos escombros
que
a saudade
arruma
gélida e atónita
paira pelos corredores
do vazio
e solidão dos homens
secas
as palavras despegam-se
das coisas e da gente
como pele de cobra
em tempo de muda