Luís Carlos Patraquim

  • Nome Completo: Luís Carlos Patraquim
  • Tipo de Escritor: Poeta
  • Nasceu em: Maputo, Moçambique

Luís Carlos Patraquim nasceu em Lourenço Marques (actual Maputo), Moçambique, em 1953.

Colaborador do jornal "A Voz de Moçambique", refugia-se na Suécia em 1973. Regressa ao país em Janeiro de 75 integrando os quadros do jornal "A Tribuna".

Membro do núcleo fundador da AIM (Agência de Informação de Moçambique) e do Instituto Nacional de Cinema (INC) onde se mantém, de 1977 a 1986, como roteirista/argumentista e redactor principal do jornal cinematográfico "Kuxa Kanema".

Criador e coordenador da "Gazeta de Artes e Letras" (1984/86) da revista "Tempo".

Desde 1986 residente em Portugal, colabora na imprensa moçambicana e portuguesa, em roteiros para cinema e escreve para teatro. Foi consultor para a "Lusofonia" do programa "Acontece", de Carlos Pinto Coelho e é comentador na RDP-África.

Foi distinguido com o Prémio Nacional de Poesia, Moçambique, em 1995.

Pulicações

Obras:

Livros:

  • 1980 - Monção, edições 70/INLD, Maputo
  • 1985 - A Inadiável Viagem, Associação dos Escritores Moçambicanos, Maputo
  • 1992 - Vinte e tal novas formulações e uma elegia carnívora, ALAC, Lisboa
  • 1992 - Mariscando Luas, em parceria com Chichorro e Ana Mafalda Leite, Veja, Lisboa
  • 1997 - Lidemburgo Blues, Caminho, Lisboa
  • 2005 - O Osso Côncavo,Caminho, Lisboa

Em preparação:

  • KUXA KANEMA, UM FILME MOÇAMBICANO.
  • DE CABEÇA PARA BAIXO, crónicas.
  • 2005 - Da Cor Exuberante às Mestiçagens do Olhar, sobre a pintura de Chichorro.
  • 1995 - Prémio Nacional de Poesia, AEMO, Maputo.
  • Antologiado e traduzido em diversos países: França, Inglaterra, Suécia, Finlândia, Alemanha, Estados Unidos

Teatro:

  • 2000 - KARINGANA WA KARINGANA, Bica Teatro/Teatro da Trindade, Lisboa.
  • 2002 - VIM TE BUSCAR, Bica Teatro/ Teatro A Comuna, Lisboa.
  • 2003 - TREMORES ÍNTIMOS ANÓNIMOS, de parceria com António Cabrita, Bica Teatro/ Teatro da Trindade, Lisboa
  • 2004 - NO ESTALEIRO GERAL, Bica Teatro/ Teatro A Comuna, Lisboa.

Em preparação:

  • A COR VERMELHA DOS JACARANDÁS

Cinema:

  • 1976 - Fundador do Instituto Nacional de Cinema de Moçambique (INC), Maputo.
  • 1977/1986 - Redactor/roteirista do jornal cinematográfico KUXA KANEMA.
  • 1977/1986 - Redactor/Roteirista, documentários/ INC, .

Roteiros de ficção:

  • 1985 - Co-roteirista, com Licínio Azevedo, de O TEMPO DOS LEOPARDOS, longa-metragem. Co-produção Moçambique/Jugoslávia, Maputo/Belgrado.
  • 1998 - Co-roteirista de A TEMPESTADE DA TERRA, real. De Fernando Silva, Cinemate, Maputo/Lisboa.
  • 2001 - Diálogos e colaboração em O GOTEJAR DA LUZ, real. Fernando Vendrell, roteiro de Leite de Vasconcelos, Cinemate, Maputo/Lisboa.
  • Roteirista da série vídeo CONTOS POPULARES DA LUSOFONIA, real. Luís Beja, Beja Filmes, Lisboa.
  • 2005 - Co-roteirista, com António Cabrita , da adaptação do livro de Mia Couto UM RIO CHAMADO TEMPO, UMA CASA CHAMADA TERRA. Real: José Carlos de Oliveira. Produção: Marginal Filmes. Maputo/Lisboa.
  • Co-roteirista, com Licínio Azevedo, de COMBÓIO DE SAL E AÇÚCAR, em preparação.
  • 2005 - Participação no roteiro e diálogos de O Escravo, realização de Francisco Manso. Em pré-produção. Rodagem em .

Jornalismo:

Moçambique:

  • A Voz de Moçambique.
  • A Tribuna.
  • Agência de Informação de Moçambique.
  • Instituto Nacional de Cinema
  • Fundador e coordenador da Gazeta de Artes e Letras, revista Tempo
  • Colaboração dispersa pelos principais órgãos da imprensa moçambicana.
  • Cronista no semanário Savana. Colaboração actual.

Portugal:

  • Colaboração no JL, Colóquio/Letras, revista África, A Razão, Diário de Lisboa, Expresso, Público, Africa-Jornal, Africa Lusófona.
  • Editor cultural no Europeu.
  • Coordenador e redactor da revista Cadernos de Design. Edição do Centro Português de Design.
  • Colaboração na BBC, Rádio France Internacional.
  • Consultor do programa Acontece, de Carlos Pinto Coelho, RTP 2.
  • Comentador residente do programa Ao Calor de África, RDP-África.
  • Coordenador redactorial da revista Lusografias, publicação trimestral, propriedade do Instituto Piaget. Primeiro número em Junho de 2005.