Lopito Feijó

  • Nome Completo: João André da Silva Feijó
  • Tipo de Escritor: Poeta, crítico literário
  • Nasceu em: Lombe, Malanje, Angola
  • Profissao: Deputado Assembleia da Nacional da República e Angola

Lopito Feijó nasceu em Malanje, Angola a 29 de setembro de 1963. Estudou Direito na Universidade Agostinho Neto em Luanda e actualmente é deputado da Assembleia Nacional da República e Angola

Poeta, crítico literário e professor de literatura Angolana é membro fundador da Brigada Jovem de Literatura de Luanda (BJLL) e do Colectivo de Trabalhos Literários Ohandanji. E membro da União de Escritores Angolanos (UEA), onde exerceu o cargo de secretario para Relações internacionais.

Actualmente é presidente da Sociedade Angolana do Direito do Autor (SADIA) e director da Gazeta dos Autores. As suas obras contam com publicações no Brasil, Portugal, Espanha, Estados Unidos, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Nigéria, Etc. E membro da Academia Brasileira de Poesia com o numero correspondente 1154.

Igualmente é membro da International Poetry dos EUA e da Maison Internacionale de la Poesie, sediada em bruxelas, Reino da Belgica. Esta repertoriado na 10ª edicao do International directory of distinguished leadership (2004-2005), do American Biographical Institute, bem como no Dicionário de Autores de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa (1997).

Em 2020 Lopito Feijó recebeu o prémio Guerra Junqueiro no âmbito da realizações do Festival literário Guerra Junqueiro atribuído em parceria pela Editorial Novembro e pela Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta, Portugal.

Pulicações

  • Brilho do Bronze (Haikais-2005)
  • Na Idade de Cristo (poesia declamada em CD-1997);
  • África da Palavra (1995)
  • Meditando (ensaio e crítica, 1994);
  • Geração da Revolução(1993)
  • Meditando, textos sobre literatura (1992)
  • Cartas de Amor (UEA, poesia, 1990);
  • No Caminho Doloroso das Coisas (Antologia de Jovens Poetas Angolanos, UEA 1988);
  • Doutrina (poesia, UEA,1987);
  • Me ditando (1987);
  • Rosa-cor-de-Rosa (1987);
  • Me Ditando, Rosa Cor de Rosa, Corpo-a-Corpo (plaquetes de poesia, 1987);