Abreu Paxe, nasceu em 1969 no vale do Loge, município do Bembe província do Uíge, Angola. Licenciou-se no Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED), em Luanda, na especialidade de Língua Portuguesa.

  • Nome Completo: Abreu Castelo Vieira dos Paxe
  • Tipo de Escritor: Poeta
  • Nasceu em: Vale do Loge, Bembe, Uíge, Angola
  • Profissao: Docente de Literatura Angolana

É membro da União dos Escritores Angolanos (UEA) e venceu o concurso “Um Poema para África” em 2000.

Desde tenra idade desenvolveu o gosto pela literatura, começando por ler livros de literatura infantil.

Iniciou a sua carreira como escritor com aproximadamente 12 anos, quand participar num concurso literário que surgiu na escola. A sua participação teve como principal objectivo de estimular e cultivar o gosto pela literatura nos seu colegas.

Abreu Paxe escolheu elegeu a poesia em detrimento da prosa, por considerar a poesia mais livre e mais aberta que a prosa.

Em 2000 com o poema com o intitulado “Na ternura do cerco”, Abreu Paxe venceu o concurso “Um poema para África”, iniciativa do Ministério das Relações Exteriores com o apoio da Rádio Nacional de Angola.

Foi animador do Cacimbo do Poeta na sua 3ª. edição, actividade organizada pela Alliance Française, por ocasião da dia da África. Figura na Revista Internacional de Poesia "Dimensão n. 30 de 2000, na antologia dedicada à poesia contemporânea de Angola, editada em Uberaba, Brasil.

No Brasil, foi publicado nas revistas Dimensão (MG), Et Cetera (PR) e Comunità Italiana (RJ), Portugal, na antologia Os Rumos do Vento, (Câmara Municipal de Fundão).

Em 2001 foi capa na Revista Internacional de Poesia edição número 30, uma das mais prestigiadas revistas de difusão de poesia. Nesta edição foram divulgados vário poetas na sua maioria angolanos. Em Setembro, participou também na 22ª Bienal Internacional de Poesia em Liége-Reino da Bélgica.

Ao longo da sua carreira poéticas, publicou inúmeros textos, sendo que em 2003 publicou a obra “A Chave no Repouso da Porta”  uma compilação que reuniu 42 poemas.

Pulicações

  • A chave no repouso da porta (2003), que venceu o Prémio Literário António Jacinto.
  • O VENTO FEDE DE LUZ, Luanda: União dos Escritores Angolanos, 2007.