A literatura são-tomense mergulha as suas raízes no século XIX, princípios do séc. XX, com o jornalismo, praticado pela elite dos "filhos-da-terra" na imprensa da época

Nesses periódicos, - de carácter não oficial e não-governamental, onde se desenvolveram polémicas sobre a dignificação e instrução das populações nativas, sobre o abuso do poder, violência contra o negro e sobre a questão das terras expropriadas aos nativos - eram igualmente publicados poemas dispersos, onde se detectava já uma matriz pré-nacionalista, indiciando uma consciência unitária e libertária.

A primeira obra literária de que se tem conhecimento, relacionada com S. Tomé e Príncipe, data de 1896, sendo um modesto livrinho de Poemas Equatoriaes, do português António Almada Negreiros (1868-1939), que ali viveu muitos anos.

Referências Biográficas

  • Inocência Mata, "Marcelo de Veiga e Francisco José Tenreiro" in Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa, vol. 64,
  • Pires Laranjeira, Lisboa, Universidade Aberta, 1995, pp. 336-339 – adaptado)
  • LUSOFONIA - PLATAFORMA DE APOIO AO ESTUDO A LÍNGUA PORTUGUESA NO MUNDO, JOSÉ CARREIRO.
    • 1.ª edição:http://lusofonia.com.sapo.pt/LiteraturaSantomense.htm, 2008-09-13.
    • 2.ª edição: http://lusofonia.x10.mx/LiteraturaSantomense.htm, 2016.