História da poesia da Guiné Bissau (até 1944)

Muitos deles de origem cabo-verdiana em que a maioria, se caracterizara por uma abordagem paternalista ou próxima do discurso colonial.

Destacam-se Maria Archer, poetisa do exotismo, Fernanda de Castro, cuja obra dá conta das transformações sociais da colónia na época e João Augusto Silva, que recebeu o primeiro prémio de literatura colonial.

Durante esse período apenas uma figura guineense se destaca: o Cónego Marcelino Marques de Barros, (1844-1928) transcreveu e traduziu dez cantigas, da oralidade guineense, em sua "A literatura dos negros" (Lisboa 1900).

 

Referências Biográficas

  • A literatura de Guiné-Bissau Embaló, F; in http://opatifundio.com/site/?p=2754, acedido em 30-08-2012
  • Literatura, Língua e Cultura na Guiné-Bissau - um País da CPLP; Couto HH e Embaló F,PAPIA Revista Brasileira de Estudos Crioulos e Similares; Número 20, 2010