Como acontece com a totalidade dos PALOP, devido ao atraso do aparecimento de condições socioculturais, propícias ao surgimento de vocações literárias, a literatura na Guine Bissau foi tardia.

Esse atraso deveu-se sobretudo ao facto da Guiné ser uma colónia de exploração e não de povoamento, tendo estado por um longo período sob a tutela do governo geral da colónia de Cabo Verde.

Aliado a estes factos, nunca é demais referir a existência de uma política educativa colonial restritiva e tardia. O primeiro estabelecimento de ensino secundário só foi aberto em 1958, enquanto que, por exemplo, em Cabo Verde o primeiro liceu foi inaugurado na Praia em 1860, que mesmo assim restringia dramaticamente o acesso ao ensino que excluía a maioria da população (cerca de 99,7% em 1961) abrangida pelo Estatuto do Indigenato.

A história da poesia no país pode ser divida em quatro fases:

  • A fase anterior a 1945;
  • O período entre 1945 e 1970;
  • O período entre de 1970 a 1980;
  • A partir de 1990;

Referências Biográficas

  • Literatura, Língua e Cultura na Guiné-Bissau - um País da CPLP; Couto HH e Embaló F,
  • PAPIA Revista Brasileira de Estudos Crioulos e Similares; Número 20, 2010