Poemas e poesia Surrealistas

CURVATURA DO TEMPO

A vida toda Desaparece Na curvatura do tempo Folhas rolam ao vento Na face áspera da rua Em meio ao desalento Um homem penso Pende na paisagem que flutua Os...
Publicado em 13.11.2016, por Célio Govedice

surrealistas

ABSTRAÇÕES ALEATÓRIAS
Publicado em 16.06.2016, por Carlos Alê

Tempos remotos

Poema surrealista.
Publicado em 05.06.2016, por Mauricio Duarte

< 3 >

.  Por Terras e Mar  aonde estaria eu  os Teus melhores  . 
Publicado em 26.05.2016, por José

Instintos

Ontem deixei a solidão caminhar esquecida de mim bailando na partitura de uma lágrima que se escoa dos teus olhos onde repouso a alma que poetiza todos os...
Publicado em 13.04.2016, por Frederico Fernandes

MEUS PEDAÇOS

Poema do livro PEDAÇOS.
Publicado em 06.03.2016, por Nair Damasceno Paiva

Coro de louvor à vida

  ”... desígnios bailam, embalam caminhos, giram em torno de um determinado alvo incomum... ----------------------------------------  
Publicado em 21.01.2016, por Luiz Morais

Sanidade ao inverso!

Quando eu vim da minha terra, Contemplo o que deixei para trás, E na esperança de encontrar algo diferente, Que preenchesse o que estava vazio.   Na tentativa de acerto, errei...
Publicado em 01.05.2015, por Leonardo Sampaio

Talvez

Talvez. Um momento, ou uma dor Uma verdade, ou será o calor... Calor do momento que me invadiu Causando tanta dor Privado no espaço temporal Já não faço parte...
Publicado em 23.04.2015, por Valdik Teixeira

Burbúrio possuidor no teatro das sombras

Burbúrio possuidor no teatro das sombras
Publicado em 24.02.2015, por Alex Rodrigues

MIRTES E A ORDEM DO VENTRE - A VIDEIRA

POEMA SAGA, COM UM ESTILO PRÓPRIO DE DESENVOLVIMENTO. TRAZ ELEMENTOS DO MÍSTICO, DO FILOSÓFICO NUM CONTEXTO ÉPICO.
Publicado em 24.02.2015, por João Marcelo Pacheco

SIMBOLISMO

ESTRO, O QUE FAZEIS AQUI NESTA ERA? VEDE,VOSSO TEMPO PASSOU, FOI EMBORA. A POESIA AGONIZA SEM  O LIRISMO DE OUTRORA. IDE, VOLTAI AO VOSSO MUNDO DE QUIMERA.   ...
Publicado em 31.01.2015, por IRAN ANDRADE

“Boogie-woogie” Alcunhado

Encerramento da golfada caótica merecedora de nota  Elefante despretensioso de matiz suave                    ...
Publicado em 29.12.2014, por Filipe Serra

Rejeitado

Rejeitado   No celeiro da vida Pasto a dor crescida Dormitando nas trevas da alma Desventurado corpo Duma megera endiabrada abortada.   Engolido num mugido Grito no...
Publicado em 07.12.2014, por Jota Marx

Dia das bruxas ( Halloween )

               Dia das bruxas ( Halloween )           Surgem morcegos e gatos, ...
Publicado em 31.10.2014, por Juvenal Nunes

"VAGABUNDO"

Vagabundo com inúteis sonhos Cadáver com o fardo de ser livre Sangue espalhado pelas paredes Pedaços do que fomos em casa Dor maldita espalhada na mente Serpente venenosa, cuspe...
Publicado em 22.10.2014, por Isabel Morais Ribeiro Fonseca

SONHO

Só não estou, porque estás. És sol e também lua, ao meio dia, ou à meia noite. Vejo-te partir e chegar, a sorrir ou a chorar. És a minha sombra, o meu querer, a minha sorte e também o...
Publicado em 16.09.2014, por Manuel Albino

Sem Paciencia

Porque sempre vai existir aquela pessoa pra te tirar do sério feito por mim >
Publicado em 02.09.2014, por Manoel Batista

O lago - tradução

Tradução do poema O lago de Edgar Allan Poe.
Publicado em 07.08.2014, por Orfeu Brocco

Malograda Maria

Pobre Maria Cansada da agonia Ajoelhou-se a rezar Um anjo que passava Que tinha um olho que sorria Outro que chorava Comoveu-se e foi ajudar Coitada da Maria Recebeu sua alegria ...
Publicado em 02.07.2014, por Antonieli Matos Machado da Silva

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes: 21
  • Membros: 0
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso