Vangloriar

                    Vangloriar

Um dia eu sonhei
Se hoje cheguei até aqui é porque acreditei lutei mas não me cansei
Várias dores eu suportei quase a pensar em desistir
Bofetadas da vida levei

Mas eu aguentei
E hoje eu realizei
O quê um dia almejei
Até a ngana zambi eu rezei
Graças ao omnipresente eu conquistei
E hoje eu faço aquilo que sempre imaginei

Hoje enxerguei o além
Mas as dores prevalecem
Bons momentos oferecem
Mas as dores dificilmente se esquecem

Não estou a tentar me vangloriar
Eu quero te fazer também acreditar
Que nada é impossível
E muito menos invencível
Vais desistir ou vais persistir?

Pouco sei que nada sei
eu só realizei o que eu sonhei
Não enche o peito
Esquece o ego

Não te percas nesta ilusão
Tens de transcender o teu ser
Desapega-te do que é em vão
Faz por merecer
E apega-te ao que faz bem ao teu coração
Deixa o silêncio por si próprio responder
Queres morrer plenamente cego?
Ou vais optar pelo falecimento do teu ego

Luís António Pacheco


Ngana Zambi significa meu meu Deus em Kimbundu

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes:
  • Membros: 3
    • Antóni Silva
    • Elsa Simões
    • Sónia Silva
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso