O silencio

O silêncio !!

Estou calado pela verdade com factos;

O que não disse não tem significado lógico;

A moeda tem dois lados sei, mas nenhum dos lados,

é apontado como o que justifica os meus actos;

olho para o espelho, a projecção da imagem é,

uma caricatura em processo fantástico;

Os tons mudam em função do tempo assim como os capitalistas da banda;

Nem se posicionam e pensam ate que pobre é material reciclado. que coisa;

Parece ate a independencia de angola que onde mais se lutou não tem nada;

É como disse antes, o silêncio não tem cara, mas tem identidade ambiciosa;

Oh perigo, visita-me o perigo a toda hora não me vejo alem que vida, está na bamba;

Suplico e peço, confesso que se me calo, o silêncio traduz-se na minha capacidade

Voluvel do saber, na tristeza e opacidade do meu guia;

Dessa que todos se tornaram vitimas, coitado kalumba;

Ngana zambi não molhou o jango cratera no pé vigia;

O classico do sentimento sem lingua dialetica como indi e o mandari alheio;

Que invade a cada verbo do meu portugues, o de portugal;

Calo-me, olho só. assim não firo o meio;

Ha quem viveu a chicote na boca que não se cala sofrendo na pele como quando

Faltou o preservativo da moda, legal;

No meu silêncio me interpretem como antídoto que sufoca a ignorância por

Meio da poesia em qualquer seio;

                                                         O meu interesse

Não vou dizer o meu interesse, vaz notar

Mas vou sublinhar com diferença o querer

Alguem tem que governar na sua vida e pela tactica, a mim vaz votar

Não estranhes se te der ate o que eu não tiver

E que pelo meu interesse, saberás ate quando os cavalos se querem juntar

Veja que eu sou simples, mas também tenho vontade de te ter

Sentes qualquer desejo quando me vez passar e eu ate digo que azar

Por vezes penso que é feitiço e não posso ultrapassar

E quando olho pra ti,penso antes de qualquer coisa te embelezar

Posso ser ate pra ti imprevisivel, mas sou mesmo Eu

A vida é assim por vezes bela e por vezes feia, duramente

Mas o segredo deste interesse, é só Meu

Não me convenças a mudança, porque os meus ideiais são firmes severamente

Eu quero mais, e é a toda hora que eu quero

Mas vejo tão pouco como oferta, desgraça

Sei que mereço um pouco mais de tudo que me refiro

Mas eu espero porque sei que o coração pode ter maldade, mas aceita mudança

 

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes: 29
  • Membros: 4
    • Tiago Oliveira
    • Ana Costa
    • Helena Costa
    • Mauro Moura
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso