SENTIMENTOS

Os sentimentos são como pássaros, voam, voam, voam...

Gosto de falar dos meus sentimentos. Quando falo dos meus sentimentos, desnudo minhas intensões, rasgo o véu da minha timidez e me exponho completamente. Exponho meus segredos, minhas indecisões e minha intimidade, como se eu fosse me revirar do avesso. Falar deles me deixa completamente em fase de expansão. Revelo até a alma, que transmuta em ascensão.

Gosto de falar dos meus sentimentos. Quando falo, eles se revelam por si só como se fossem as noites e seus mistérios irrevelados. Quando falo dos meus sentimentos, dispo até minha última intensão. Bebo até a última gota deste momento intencional. Meus sentimentos são como aves libertas. Eles voam, voam, voam pelos céus primaveris e aterrissam nas noites invernais. 

Meus sentimentos são como flores, arco-íris e borboletas; perfumados, coloridos e leves. Também são ventos, tempestades e furacões. Dependendo da situação, deixam pedaços nostálgicos de momentos vividos. Assim são meus sentimentos, totalmente revelados...

Publicou: “Alma do Mar” (poemas, 2010), “O Despertar do Silêncio” (pensamentos, 2012), “O Som do Invisível” (poemas, 2013), “A Cor do Infinito” (pensamentos, 2016), “As Musas do Vale” (prosas poéticas, 2016).

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes: 36
  • Membros: 4
    • Tiago Oliveira
    • Ana Costa
    • Helena Costa
    • Mauro Moura
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso