Inábeis

Mulheres engessadas,
inexpressivas,
repletas de nada;
tácitos disfarces,
formas deformadas;
débeis parideiras
de anjos agonizantes,
anjos quadrados.
Um saco de oração, outro de ilusão,
e o mundo explode, concebe, expira.

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes: 45
  • Membros: 4
    • Antóni Silva
    • Joana Oliveira
    • Paulo Silva
    • Ana Costa
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso