Imergir

Sinto-me submersa em águas profundas e a cada momento é como se algo me puxasse para mais profundo. Em situações normais eu lutaria contra, precisaria chegar a superfície e respirar, mas aqui é tão diferente. Se tento voltar a superfície é como se o meu corpo começasse a perder as forças, só que há um desejo em mim de ir mais profundo, imergir em um desconhecido em que eu me sinto tão bem. Às vezes é escuro, eu penso em parar, porém uma confiança brota em meu coração e lá vou eu, mais um pouco, mas ainda não é tudo. Ah! Quanto mais imerso, mais é possível respirar mais intenso. Meu coração acelera, estou em um oceano de amor. Ah! O Seu amor (suspiro), tinha que ser o Seu amor.

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes: 53
  • Membros: 20
    • José Barros
    • Antóni Silva
    • Joana Oliveira
    • Joaquim Andrade
    • Maria José
    • Tiago Oliveira
    • Paulo Silva
    • Ana Costa
    • Andeira Moreira
    • Maria das Neves
    • Elsa Simões
    • Helena Costa
    • Diana Santos
    • Mário Atónio
    • Telma Oliveira
    • Ricardo Carvalho
    • Mauro Moura
    • Sónia Silva
    • Leandro Correia
    • Sofia Pereira
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso