Amor das horas - fado

Meu amor das horas vãs

Acorda não tenhas medo

Vem dar cor ao meu segredo

Como a aurora às manhãs.

Vem dormir no meu regaço

Vem dar luz ao meu olhar

Faz de mim o teu lugar

Do meu corpo o teu abraço.

Mas ao vires não te apresses

Deixa os medos no caminho

Passo a passo há um Destino

Fado a fado há tantas preces.

Ao meu peito irás voltar

Como a aurora às manhãs

Não te importes de acordar

Meu amor das horas vãs.

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes: 51
  • Membros: 20
    • José Barros
    • Antóni Silva
    • Joana Oliveira
    • Joaquim Andrade
    • Maria José
    • Tiago Oliveira
    • Paulo Silva
    • Ana Costa
    • Andeira Moreira
    • Maria das Neves
    • Elsa Simões
    • Helena Costa
    • Diana Santos
    • Mário Atónio
    • Telma Oliveira
    • Ricardo Carvalho
    • Mauro Moura
    • Sónia Silva
    • Leandro Correia
    • Sofia Pereira
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso