Adeus

Adeus

Adeus amigo

Vou partir

na última viagem

 

Despeço-me de ti

para sempre

 

Se tiveres saudades minhas

sabes onde me encontrar

 

Ouvir-me-ás

no vento

nas nascentes de água

 

Ver-me-ás

nos mares

nas nuvens

nas montanhas

nos vales

nas planícies

nas flores

nas folhas das árvores

na Terra

no Sol

no Céu

e nas estrelas

 

Parto na luz do Sol

pelo caminho do arco-íris

 

Quando também tu

partires para sempre

lá nos encontraremos

 

Adeus amigo

vivi

alegrias e tristezas

prazeres e dores

lamentos e risos

já chego de ser eu

 

Cheguei

num raiozinho de luz

nasci

vivi

e parto

agora

num raiozinho de luz

 

Adeus meu amigo

Sê feliz

 

Não precisas de ser mais do que és

Nem o serias se quisesses

 

Sê simplesmente tu

E serás feliz

 

Não mintas a ti próprio sobre a tua própria natureza

Não te deixes levar por ninguém

aos segredos dos tesouros que não são teus

e que te levarão à perdição

 

Os teus segredos

e os teus tesouros

estão no vento

e nas nascentes de água,

nas nuvens,

nas flores

nas folhas das árvores

na Luz

no Sol

no Céu

na Terra

nas sombras

e nas estrelas

 

o teu corpo

o Universo

realizam-se

em ti

na tua consciência

 

a tua consciência

o Universo

realizam-se

em ti

no teu corpo

 

Hac Sa, Coloane, Macau

20.02.2015

Publicação gratuita em TENNET - Tudo é Nada, Nada é Tudo

www.josesilveirinha.com/TENNET/

Oferta, visitar TENNET - Tudo é Nada, Nada é Tudo

www.josesilveirinha.com/TENNET/

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes: 46
  • Membros: 4
    • Antóni Silva
    • Joana Oliveira
    • Paulo Silva
    • Ana Costa
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso