Tão teu

Poema de amor.

Tão teu

 

Tão teu era meu destino

que deixava de ser

só e passava a

ser sim, um só, contigo,

sendo dois que são um...

 

Tão teu era meu destino,

que minha fala era

concatenada com

a tua e o meu próprio

pensamento também...

 

Tão teu era meu destino,

que nada me trazia

mais alegria do que

estar perto de ti,

nem ligar para tempo...

 

Tão teu era meu destino,

que eu não saía do meu

quarto escuro morto,

sem querer, enfim, ser

teu amante, amada...

 

Tão teu era meu destino,

que não passava de

passado a ideia

de viver sem a alma

tua em meu coração...

 

 

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes: 20
  • Membros: 4
    • Tiago Oliveira
    • Ana Costa
    • Helena Costa
    • Mauro Moura
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso