Com a vida, faço você!

 

Nas mãos, ora perdemos,

Tudo o que conquistamos,

E em um momento,

Trocamos o duvidoso pelo certo.

 

E em certo momento da vida,

Analisamos que a chave,

Estava contigo todo este tempo,

E com uma cegueira moral, não se via.

 

O que fazer, e como agir,

Em momentos assim,

Que a esperança não esta,

E nem se faz presente.

 

Enxergar o futuro, sem mesmo,

Ser possível construir o presente,

O que ficou para trás,

Ainda esta presente de certa forma.

 

Quero um futuro, sem farpas,

Mas como conseguir, se estou preso,

A sua consciência, memórias,

E aqueles momentos inesquecíveis.

 

Com as mãos, pinto a vida,

Com a fala, canto rimas,

Com os pés, caminho em longas estradas,

E com a vida, amo você!

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes: 30
  • Membros: 4
    • Tiago Oliveira
    • Ana Costa
    • Helena Costa
    • Mauro Moura
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso