Memória escondida!

Sobre a penumbra,

De algo que é difícil,

De explicar, estou aqui,

Sentindo esta vaga fatal.

 

Minha vontade era outra,

A situação que enfrento hoje,

Gostaria de ter o poder,

De controlar os acontecimentos.

 

Volto sempre àquela tarde,

Tão cinza e sem cores,

E nada podia fazer,

Já tinha sua decisão tomada,

 

E quanto a mim, restou somente,

A lembrança e as historias registrada,

Em fotos, palavras e memória,

Este é meu tesouro.

 

Mesmo com todos os acontecimentos,

Agradeço por tua participação,

Em minha vida, assim desta forma,

Tornei-me bem melhor, do que antes.

 

Hoje, não sei qual sua historia,

Espero que lembre sempre de mim,

Da mesma forma que tenho,

Em meu coração, e até em minha memória. 

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes:
  • Membros:
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso