SONHOS DE AMOR

SONHOS DE AMOR 

Ando perdido entre sonhos de amor,

Como colete de forças que me aperta,

Contigo ao meu peito, num abraçar

Tão grande como é este nosso amar.

Tantos sonhos de amor me chegam

A meio da noite, sem sono, acordado,

Para ver teu corpo esbelto e desejado,

Tantos sonhos tenho, me atormentam.

Para esquecer tudo que é de mui mal,

Só os sonhos que tenho contigo curam

Minhas mágoas de amores frustrados,

Que me deixaram assim tão magoado.

Não me deixes entregue aos sonhos

Que não posso converter em realidade

Dá-me mais uma vez a oportunidade,

De sonhar contigo ao vivo toda a noite.

Quero que ao acordar pela madrugada,

Te sinta ainda junto do meu doce leito,

Pra te beijar longamente ao nosso jeito.

Sem te deixar arrependida ou magoada.

Ruy Serrano - 05.08.2017

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes:
  • Membros:
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso