Manuela Margarido

Poetisa

Maria Manuela Margarido, (ilha do Príncipe 1925, - Lisboa 10 de Março de 2007)

Na sua poesia a cólera e a revolta são duas constantes que, associadas ao movimento dialéctico da vida que tudo destrói e reconstrói, trazem esperança.

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes:
  • Membros:
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso