Gil Vicente Notas Biográficas

(1465?-1537?)

Sabe-se muito pouco em concreto de Gil Vicente.

Desconhece-se o local e a data exactos do nascimento e morte. É provável que tenha nascido em Guimarães, fixando-se muito cedo em Lisboa, onde parece que  a sua principal ocupação tenha sido a de escrever e representar autos nas cortes do rei D. Manuel e do rei D. João III. Sabe-se contudo, que no dia 8 de Junho de 1502 representou um monólogo à rainha D. Maria

Alguns documentos dão-no como, além de dramaturgo, ourives.

. É considerado o pai do teatro português. De 1502 a 1536, Gil Vicente produziu mais de quarenta peças de teatro, chegando a publicar em vida algumas delas.

Colaborou no Cancioneiro Geral de Garcia de Resende. No entanto, só em 1562 é que o seu filho Luís Vicente publicou toda a sua obra com o título Compilaçam de todalas obras de Gil Vicente, a qual se reparte em cinco livros.

Gil Vicente retracta a sociedade portuguesa do seu tempo, em todos os seus vícios e impulsos, num registo de valor incomensurável para o conhecimento da época.

É notável a sua capacidade para captar as mais diferentes tonalidades e registos de linguagem - a linguagem típica de cada grupo social, de cada atitude, em diálogos ou monólogos extremamente vivos.

 

 Da compilação, destacamos : Auto da Índia (1509), Exortação da Guerra (1513), Quem Tem Farelos? (1515), Auto da Barca do Inferno (1517), Auto da Fama (1521), Farsa de Inês Pereira (1523), Auto da Feira (1528) e Floresta de Enganos (1536).

 

Fonte:  Breve História da Literatura Portuguesa - Autores: Vida e Obra, Lisboa: Texto Editora, 1999.

 

ETQ_ACTUAL em , 2.001 ETQ_ACESSO

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes:
  • Membros:
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso