Angolê

"Este país morreu!”
José Eduardo Agualusa

Na hora do sol-dos-cazumbis (1)
entre o caos e o vazio
Os tchirikwátas(2) cantam.

Como que reescrevendo a geografia real
Reinventam fronteiras
Entre sombras pretas
e o fulgor vermelho

Sonho obstinado
surpreendentemente complexo.

Este país
recusa a morte.

  1. Sol-das- almas; Tonalidade vermelha do céu, depois das 16 horas, em dias de sol;
  2. Pássaro canório;

Dezembro 2006

ETQ_ACTUAL em 01.01.2017, 2.218 ETQ_ACESSO

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes:
  • Membros:
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso