Mas que destino é este

Mas que destino é este
de estar sempre a olhar para o céu
na esperança que a lua
traga novas cantigas de amor?

Esta lua que chega sempre
Sem olhos
Sem boca
Sem pátria
Sem deus

Como uma bandeira de remorsos
A soluçar cidades cinzentas de cinza

cidades atónitas
De mortos a morrerem de pé

ETQ_ACTUAL em 09.08.2012, 1.930 ETQ_ACESSO

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes:
  • Membros:
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso