Romantismo

(1ª metade do séc. XIX)

O ‘espírito romântico’ continuou, após o ‘espírito revolucionário romântico’ inconfidente. Em 1836 Gonçalves de Magalhães publicou o livro de poemas "Suspiros poéticos e saudades". Essa publicação e a da revista “Niterói”, para a qual escreviam poetas e letrados, marcaram o início do Romantismo no Brasil.

Numa estética inovadora o Romantismo criou uma nova linguagem, capaz de refletir os ideais nacionalistas, uma de suas características essenciais.

Primeira geração romântica: a poesia indianista, extremamente nacionalista. Destacam-se Gonçalves de Magalhães e Gonçalves Dias, o nosso melhor poeta indianista.

Segunda geração romântica: a poesia da angústia, melancolia, do lamento e amores impossíveis. Destacam-se Fagundes Varela, Álvares de Azevedo,  e Junqueira Freire.

Terceira geração romântica: Influenciados por Victor Hugo, os poetas dessa geração valorizavam a poesia engajada em lutas sociais. Também chamada “geração condoreira", que tinha como símbolo o condor, que voa alto – pretendia uma poesia de efeito que tocasse o coração das massas. Destaca-se Castro Alves, cuja causa era a abolição da escravatura.

ETQ_ACTUAL em 06.06.2012, 6.210 ETQ_ACESSO

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes:
  • Membros:
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso