De 1930 a 1945

E é na ressaca deste terrível período de repressão que, “inspirando-se na leitura dos jornais do início do século e fortemente impressionados pelas correntes neo-realistas da literatura, do cinema e da pintura, triunfantes no pós-guerra, e mais tarde, pela descoberta da negritude que desde 1935 vinha sendo propugnada por Senghor e Césaire, e também pelo exemplo dos escritores negros norte-americanos, como Richard Wright, Contee Cullen e Langston Hughes, e do Cubano Nicolas Guillén”  (Carlos Ervedosa ), emergirá uma nova geração de angolanos que desenvolve «uma nova consciência ligada à terra» e lança, por volta de 1948, um mote político-cultural que irá passar à História com o nome de «Vamos Descobrir Angola». 

Para Mário de Andrade, este mote «incitava os jovens a descobrir Angola em todos os seus aspectos»

É neste período que emergem grandes nomes da criação de poética angolana como, António Jacinto, Viriato da Cruz e Agostinho Neto

Actualizado em 25.11.2016, 20.223 Acessos

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes: 62
  • Membros: 17
    • José Barros
    • Antóni Silva
    • Joana Oliveira
    • Joaquim Andrade
    • Maria José
    • Tiago Oliveira
    • Paulo Silva
    • Ana Costa
    • Andeira Moreira
    • Elsa Simões
    • Helena Costa
    • Mário Atónio
    • Telma Oliveira
    • Ricardo Carvalho
    • Mauro Moura
    • Sónia Silva
    • Leandro Correia
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso