Da prata do luar se trançam

Da prata do luar se trançam
a filigrana da saudade e a teia do medo
na noite

os homens traduzem a língua dos ruídos
e
a escrita dos pontos luminosos
mas
a dança das sombras deixa quedo
na noite
da prata do luar se trançam
a filigrana da saudade e a teia do medo

Fiapos de sonhos 1992

ETQ_ACTUAL em 06.08.2012, 2.547 ETQ_ACESSO

Conteúdos Populares

Últimas no Espaço Aberto

Poetas em linha

  • Visitantes:
  • Membros:
Lusofonia Poética - Portal de poesia lusófona © desde julho de 2007
Regras, Termos & Condições de uso